Galera mandando ver no palco durante o espetáculo.

No dia 27 de agosto de 2023 foi uma daquelas noites que a gente não esquece. Tive a honra de montar e operar o espetáculo "A Era dos Festivais" no salão de atos da UFRGS. E que viagem no tempo! O professor Flávio Azevedo nos levou de volta às décadas de 1960 e 1970, contando as melhores histórias por trás de cada festival e canção.

A Orquestra de Câmara da ULBRA, acompanhada por vozes icônicas como Serginho Moah e Tonho Crocco da Ultramen, nos fez reviver essa época dourada da música brasileira. E, falando em memórias, foi do Serginho que comprei meu primeiro instrumento musical, um violão. E o Tonho? Sempre com aquela energia e fazendo o publico levantar e cantar.

O convite para gerenciar o audiovisual, incluindo um painel de LED que fazia um pano de fundo durante as narrações do professor foi de cair o queixo, veio do meu camarada Celito Borges. Ele, que já operou o som de gigantes da música gaúcha como Borguetinho, Luiz Carlos Borges, Nei Lisboa, Kleiton & Kledir, e tantos outros, adicionou uma dimensão visual que fez toda a diferença.

Ao final do espetáculo, enquanto desmontávamos os equipamentos, Celito e eu compartilhamos um momento de reflexão. Falamos sobre a importância da música na nossa cultura, sobre os desafios da produção e sobre a satisfação de ver tudo dando certo. Foi um dia longo e cansativo, mas repleto de aprendizado, risadas e, acima de tudo, música.

E agora, sentado aqui, refletindo sobre este dia, só posso expressar minha gratidão. A música tem esse poder mágico de nos transportar, de nos conectar com momentos e memórias. E esse dia foi exatamente isso: uma viagem no tempo, um reencontro com amigos e uma celebração da nossa rica história musical. Obrigado a todos que tornaram isso possível. E que venham mais noites assim!

0 Comentários